Estudantes do curso de medicina da Universidade Santo Amaro (Unisa) ficaram pelados e fingiram se masturbar durante um jogo de vôlei feminino em um campeonato universitário em São Paulo. 

Vídeos que circularam nas redes sociais mostram os estudantes fingindo uma ‘masturbação coletiva’ durante o evento Intermed, que ocorreu em abril durante o torneio Calo 2023, na cidade de São Carlos, no interior do estado, mas o caso só ganhou destaque após um vídeo de repúdio ao comportamento se tornar viral nas redes sociais neste fim de semana.

Os alunos faziam parte do time de futsal da faculdade e estavam presentes na plateia do evento. Durante uma partida de vôlei feminino contra a Universidade São Camilo, eles baixaram suas calças e se envolveram em atos obscenos, inclusive tocando em suas próprias partes íntimas.

Em uma declaração oficial, a Universidade São Camilo confirmou que o incidente ocorreu durante um campeonato no interior do estado em abril. O Centro Universitário São Camilo também mencionou que o comportamento poderia ser enquadrado como atentado ao pudor, um crime de notificação individual. No entanto, nenhuma aluna da faculdade registrou queixa.

“O Centro Universitário São Camilo informa que nossa Atlética do curso de Medicina não participa do Intermed. Porém, em abril deste ano participou de outro evento esportivo chamado Calomed, quando nossas alunas disputaram um jogo contra a equipe da Unisa. Os alunos da Unisa, saindo vitoriosos, segundo relatos coletados, comemoraram correndo desnudos pela quadra. Não foi registrada, naquele momento, nenhuma observação por parte das nossas alunas referente à importunação sexual. O Centro Universitário São Camilo apoia todos os nossos alunos e não compactua com quaisquer atos que possam atentar contra o pudor e os bons costumes.”

Até o momento, a Universidade Santo Amaro, que foi contatada desde o último domingo pela imprensa, não emitiu nenhuma declaração sobre o incidente. Diante da repercussão, a União Nacional dos Estudantes divulgou uma nota pedindo a responsabilização dos estudantes envolvidos.

Fonte: Portal do Holanda