A Zona Oeste do Rio de Janeiro está sofrendo com mais de 20 pontos de incêndios criminosos na tarde desta segunda-feira (23). Pelos menos 24 ônibus foram queimados na região e existem relatos de outros veículos incendiados e vias interditadas. Segundo as primeiras informações, os ataques seriam em represália à morte do sobrinho do miliciano Zinho, na comunidade Três Pontes, na Zona Oeste do Rio.

Matheus da Silva Rezende, que também integrava o grupo criminosos, era conhecido como Teteu e Faustãofoi morto durante uma troca de tiros com a Polícia Civil.

Segundo a MobiRio, empresa pública que opera o sistema BRT, no corredor Transoeste, estão circulando apenas as linhas 13 (Alvorada x Mato Alto – Expressso), 25 (Alvorada x Mato Alto – Parador) e 22 (Jd. Oceânico x Alvorada – Parador).

O Centro de Operações Rio (COR-Rio) informou que o primeiro ônibus que pegou fogo estava na Rua Felipe Cardoso, na altura do BRT Cajueiros, em Santa Cruz.

Até o momento, o COR confirmou incêndios nos seguintes endereços:

  • Av. Dom João VI, na altura do BRT Magarça, em Guaratiba. (Via interditada em ambos os sentidos);
  • Av. Cesário de Melo, na altura do BRT Santa Eugênia, em Paciência (Via interditada);
  • Rua Guarujá, na altura do Viaduto de Cosmos;
  • Rua Felipe Cardoso, na altura do BRT Cajueiros, em Santa Cruz;
  • Estrada do Campinho, na altura da Rua Perico, em Inhoaíba

De acordo com relatos de moradores da região, pelo menos, mais quatro veículos foram incendiados: em Cosmos; na Estrada do Magarça, em Campo Grande; em Paciência; e na favela do Rola.

Moradores também informaram sobre um bloqueio na Avenida Brasil, na altura da Estrada dos Palmares.

Morte do sobrinho de miliciano

Matheus da Silva Rezende, sobrinho do miliciano Zinho, morreu após ser baleado, nesta segunda-feira (23), em uma troca de tiros com a Polícia Civil, na comunidade Três Pontes, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio.

O confronto envolveu policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE). Além da Core, agentes da Polinter estão no local.

Segundo a polícia, Matheus, também conhecido como Teteu e Faustão, era apontado como o segundo na hierarquia da milícia da região.

Faustão é o terceiro da família a morrer em confrontos com a Polícia Civil do Rio. Em 2017, Carlos Alexandre da Silva Braga, o Carlinhos Três Pontes, morreu em operação da Delegacia de Homicídios da Capital.

Em 2021, foi a vez de Wellington da Silva Braga, o Ecko, morrer depois de reagir à prisão em uma casa em Paciência, na Zona Oeste do Rio. Depois disso, seu irmão, Luis Antônio da Silva Braga, o Zinho, assumiu a maior milícia do Rio.