fenômeno El Niño deve se intensificar nos próximos meses, causando chuvas abaixo da média em grande parte do Brasil.

A previsão é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

No Norte, as chuvas devem ocorrer abaixo da média climatológica em grande parte da região, principalmente no Pará e Tocantins.

Em Roraima, Acre e sudoeste do Amazonas, as chuvas podem ocorrer acima da média.

Essas condições de estiagem podem prejudicar o desenvolvimento das lavouras de soja, milho e arroz, que são importantes para a economia da região.

No Nordeste, as chuvas também devem ocorrer abaixo da média em toda a região, principalmente no Maranhão, Piauí e sertão pernambucano.

Em meados de janeiro de 2024, a chuva poderá retornar em algumas localidades.

As condições de seca também podem prejudicar o desenvolvimento das lavouras de soja, milho e feijão, que são importantes para a região.

Na Região Centro-Oeste, as chuvas devem ser mais regulares em grande parte da região, com tendência de precipitação abaixo da média histórica em áreas do Mato Grosso e norte de Goiás.

Já na Região Sudeste, as chuvas devem ser mais regulares em grande parte do seu território, exceto nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, bem como no norte de Minas Gerais, onde as chuvas devem ser abaixo da média histórica.

Na Região Sul, a previsão indica maior probabilidade de chuvas acima da média climatológica em todo o seu território.

As temperaturas médias do ar devem permanecer acima da média histórica em todas as regiões do Brasil.

Os especialistas alertam que os agricultores devem se preparar para as condições de estiagem previstas para o trimestre.

É importante que eles adotem medidas de irrigação e manejo das lavouras para minimizar os impactos das secas.

Por que o El Niño deve se intensificar?

O El Niño é um fenômeno climático que ocorre de forma irregular, em intervalos de 2 a 7 anos. Ele é causado por um aquecimento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, que altera os padrões de circulação atmosférica.

No Brasil, o El Niño costuma causar chuvas abaixo da média no Norte e Nordeste, e chuvas acima da média no Sul.

A previsão de intensificação do El Niño é baseada em observações de satélites e modelos climáticos. Os especialistas acreditam que o fenômeno deve atingir sua intensidade máxima em janeiro de 2024.

Fonte: Canal Rural

Siga-nos no Instagram e acompanhe as notícias no Google News – Participe do nosso grupo no WhatsApp