Os bancos Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander vão começar a cobrar empresas a cada transferência realizada por PIX. Isso porque, o Banco Central não exige que pessoas jurídicas recebam a mesma isenção de taxas que as pessoas físicas. Além de pagar para enviar, algumas empresas também poderão arcar com os custos para receber transferências.

Imagem: GettyImages

Entretanto, CNPJs de empresários individuais (EI) e microempreendedores individuais (MEIs) não poderão ser cobrados, segundo resolução do Banco Central. Confira quanto os bancos vão cobrar por transferência:

Valor por transferência:

Santander: 1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10;   

Bradesco: 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1,65 e máxima de R$ 9; 

Itaú: 1,45% do valor pago com tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60;

Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 10.

Valor por recebimento:

Santander: 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,95;

Bradesco: 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,90 e máxima de R$ 145;

Itaú: 1,45% do valor pago com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 150;

Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com tarifa máxima de R$ 140.

Mesmo com a mudança, o valor ainda continua menor do que as taxas cobrados pelas máquinas de cartão de crédito e débito. Até o momento, a Caixa e outras fintechs mantém a isenção de taxas para todas as empresas.

Fonte: Tecmundo

Tag