A modelo Najila Trindade viu sua vida pessoal ser revirada de cabo a rabo após acionar a Justiça contra o jogador da seleção brasileira Neymar, a quem ela acusa de estupro. Agora, a baiana está sendo acusada de trabalhar como garota de programa.

De acordo com informações do site da revista Veja, o principal motivo pelo qual Najila Trindade teria hesitado em entregar seu aparelho celular à polícia, o mesmo que conteria o suposto vídeo incriminador contra Neymar, por receio de que os fatos sobre seu passado como garota de programa acabassem vindo à tona.

Ainda segundo Veja, Najila Trindade trabalhou como garota de programa na Lotus Lounge, um “spa adulto” de São Paulo, no qual atendia pelo pseudônimo de Thayla, e o cachê cobrado pela modelo seria de R$ 300 reais.

No começo desta semana, a delegada Juliana Bussacos, da Delegacia de Defesa da Mulher de Santo Amaro, em São Paulo, decidiu pelo não indiciamento de Neymar no inquérito impetrado por Najila Trindade por falta de provas.

Atualmente, Najila Trindade voltou a morar na Bahia, na casa dos pais, e levou o filho para Ilhéus, onde o garoto já está matriculado em uma nova escola.

Quanto ao futuro da denúncia de estupro, caberá ao Ministério Público decidir pelo arquivamento do caso, ou manutenção das investigações. Paralelo a tudo isso, Najila Trindade e Neymar ainda poderão ser confrontados mais uma vez perante a Justiça, uma vez que a modelo agora é investigada pela Polícia Civil por comunicação falsa de crime e tentativa de extorsão de dinheiro do pai do jogador da seleção brasileira – no tocante à extorsão, um ex-advogado da baiana também é investigado.

Najila Trindade: hipótese de que tenha se recusado a entregar o smartphone para não revelar o passado (Renato S. Cerqueira/Futura Press)

COMPARTILHE