Um miliciano suspeito de envolvimento na morte do contraventor Fernando Iggnácio de Miranda, no dia 10 de novembro de 2020, no Rio de Janeiro, foi capturado na tarde dessa terça-feira (12), na Bahia. Uma ação conjunta das polícias Civil e Militar dos dois estados o encontraram em uma pousada na cidade de Canavieiras, no Sul baiano.

Foto: Alberto Maraux/ SSP-BA

Através de ações de inteligência e de uma ligação anônima para o Centro Integrado de Comunicações (Cicom), equipes da 6ª (Itabuna) e 7ª (Ilhéus) Coordenadorias Regionais de Polícia do Interior (Coorpins) e da 71ª CIPM localizaram o foragido da Justiça. Um outro homem encontrado com o miliciano também foi detido. 

“Trabalhamos em parceria com as forças de segurança dos outros estados, visando sempre o combate ao crime organizado. As equipes de Ilhéus e Itabuna, com apoio da PM, vão apurar se o miliciano só se escondia na Bahia ou se praticava algum tipo de crime”, disse o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Flávio Góis. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), os dois foram encaminhados para a sede da 7ª Coorpin, em Ilhéus, onde o miliciano foi identificado e o mandado de prisão cumprido. Após exames, no Departamento de Polícia Técnica (DPT), ele ficará à disposição da polícia fluminense.

MILICIANOS NA BAHIA

Na semana passada, um outro miliciano do Rio de Janeiro foi capturado na Bahia. O foragido da Justiça foi interceptado em Aurelino Leal e, segundo a SSP-BA, entrou em confronto com a PM, sendo morto no local.

Além dele, há 11 meses, o miliciano Adriano da Nóbrega também foi morto em confronto com a PM baiana. O caso ocorreu na cidade de Esplanada, onde ele se escondia. O criminoso, envolvido no caso das rachadinhas do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e também citado nas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), estava foragido há cerca de um ano.