Um vídeo, que está circulando nas redes sociais, tem chamado a atenção da população para uma ação que aconteceu na noite desta quinta-feira (27), envolvendo motoqueiros que trafegavam pela rua Daniel Ferreira, no centro de Ipirá. Nas imagens, aparecem motos percorrendo a rua de forma perigosa, colocando em risco a vida das pessoas que passavam pelo local.

Além da alta velocidade e do barulho infernal provocado pelos escapamentos adulterados, as manobras também eram ousadas. Segundo moradores, algumas motos circulavam empinadas em apenas uma roda.

Eu presenciei aqui um verdadeiros vandalismo. Os caras subiram aqui a Daniel Ferreira pegando de uma roda. Alguns sem capacete […]. Uma verdadeira bagunça aqui. Passaram em alta velocidade[…]. Quase atropela crianças aqui na rua“. disse um morador.

Essa prática ilícita vem acontendo há muito tempo, não só no centro como também em outras partes da cidade, onde no meio da noite as pessoas acordam assustadas com o barulho das motos em alta velocidade, perturbando a ordem pública.

O que diz o Contran

Segundo a resolução do Contran, “fica proibida a utilização, em veículos de qualquer espécie, de equipamento que produza som audível pelo lado externo, independentemente do volume ou freqüência, que perturbe o sossego público, nas vias terrestres abertas à circulação”.

O descumprimento resulta em infração grave, gerando multa de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH. Segundo o artigo 228 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), no qual se baseia a resolução do Contran, além da multa, haverá retenção do veículo para regularização.

Novo Trânsito de Ipirá

O trânsito de Ipirá está municipalizado desde o dia 25 fevereiro deste ano. Denominado de Novo Trânsito, o projeto consiste em melhorar a mobilidade urbana na cidade, além de promover ações voltadas à educação no trânsito e da implantação de medidas que visam aperfeiçoar a circulação viária e a segurança dos pedestres, prevenindo acidentes no perímetro urbano. No entanto, até o momento, não houve nenhuma ação por parte de SMTT para coibir essa prática que, infelizmente, continua tirando a paz e o sossego da população ipiraense.