Em nota divulgada nas redes sociais na manhã desta terça-feira (22), A APLB Sindicato de Ipirá, cidade a cerca de 200 quilômetros de Salvador, afirma o prefeito de Ipirá e pre-candidado reeleição, Marcelo Brandão, acionou a justiça eleitoral contra faixas em que cobra do gestor o cumprimento do reajuste salarial dos trabalhores em educação, sob alegação de que “as faixas teriam teor eleitoral negativo e propaganda eleitoral antecipada“.

O sindicato cobra o reajuste salarial dos funcionários de creches e escolas, assim como o piso nacional do magistério. “Inúmeras vezes, desde o mês de janeiro e durante o período em que aulas foram suspensas em decorrência da pandemia, a APLB vem tentando dialogar com o prefeito sobre a necessidade de negociar [o reajuste], porém sem sucesso“. diz a nota.

Ainda segundo entidade a sindical, a manifestação por meio de faixas se deu após assembleia virtual realizada no inicio deste mês. “Ficamos impossibilitados de fazer paralisações, manifestações públicas presencias e até mesmo deflagrar greve, enviamos ofícios, mensagens de whatsapp, ligações telefônicas, reuniões virtuais também foram sugeridas como possibilidade e absolutamente nada foi capaz de sensibilizar o gestor para dialogar com a categoria. Diante da inercia [do prefeito] foi deliberado que faríamos uma manifestação pacífica através de exposição de faixas que seriam colocadas em diferentes pontos da cidade. E nem assim o prefeito chamou a APLB para um diálogo sobre a pauta de reivindicação.” conclui.

Confira abaixo a íntegra da nota:

Nota de esclarecimento
A APLB Sindicato representante legal dos Trabalhadores em Educação, Delegacia Sindical Sertanea é uma entidade que sempre defendeu e defenderá os direitos dos Trabalhadores em Educação. Com a pandemia causada pelo vírus Covid-19 toda a educação e os seus trabalhadores tiveram que manter o isolamento social para preservar o bem mais precioso que existe: a vida. Mas a luta dos Trabalhadores em Educação do município de Ipirá não pôde ficar paralisada por todo esse período uma vez que seus direitos são desrespeitados pela gestão municipal. Dito isto, relembramos ao conjunto dos trabalhadores e a comunidade ipiraense que por inúmeras vezes, desde o mês de janeiro e durante o período em que aulas foram suspensas em decorrência da pandemia, a APLB vem tentando dialogar com o prefeito sobre a necessidade de negociar o reajuste salarial dos funcionários de creches e escolas assim como o PISO nacional do magistério porém sem sucesso, aliás sem nenhum retorno. Como ficamos impossibilitados de fazer paralisações, manifestações públicas presencias e até mesmo deflagrar greve, enviamos ofícios, mensagens de whatsapp, ligações telefônicas, reuniões virtuais também foram sugeridas como possibilidade e absolutamente nada foi capaz de sensibilizar o gestor para dialogar com a categoria. Diante da inercia realizamos assembleia virtual e foi deliberado que faríamos uma manifestação pacífica através de exposição de faixas que seriam colocadas em diferentes pontos da cidade. E nem assim o prefeito chamou a APLB para um diálogo sobre a pauta de reivindicação. Ao contrário acionou a justiça eleitoral contra a APLB alegando que as faixas teriam teor eleitoral negativo e propaganda eleitoral antecipada. Essa atitude do gestor deve ser vista pelos professores e funcionários com tristeza, uma ação típica de quem não quer/não vai negociar. A assessoria jurídica da instituição já foi acionada e adotará as medidas necessárias pois, a luta em defesa do direito dos trabalhadores e de uma educação de qualidade são as únicas bandeiras que levantamos.E independente do atual prefeito ser candidato, ele é o gestor do município e nós temos o direito de nos manifestarmos contrários as decisões da gestão municipal que ao longo desse quatro anos tem nos prejudicado. Não aceitaremos que o prefeito tente calar a nossa voz!

A APLB Sindicato preza pelo respeito as Leis e não poderia descumprir uma liminar da justiça eleitoral que solicita a retirada das faixas do local onde foram fixadas. Tão logo essa situação se resolva retomaremos a luta com exposição de faixas e outras formas de denunciar à população o descaso e desrespeito aos trabalhadores em educação. Vivemos numa democracia onde as pessoas/ instituições podem expressar sua indignação. É vergonhoso que o prefeito ao invés de fazer o que lhe compete, de cumprir as leis, busque na justiça uma forma de querer silenciar toda uma categoria. NÃO SILENCIARÁ A NOSSA VOZ!

É salutar registrar que aguardamos que o gestor apresente uma proposta. Nos manteremos vigilantes nesse período e em breve realizaremos assembleia novamente para definir os rumos do movimento.
Essa categoria sai dessa manifestação ainda mais forte, mais consolidada porque sabe que toda luta por garantia de direitos, respeito e valorização dos trabalhadores em educação vale a pena.

Só conquista quem luta!
Viva a APLB Sindicato!
22/09/2020