As investigações da Polícia Civil sobre o assassinato do médico pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, ocorrido na última quinta-feira (23) na cidade de Barra (relembre), constataram que os envolvidos no crime receberam R$ 4 mil reais. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA),a motivação do homicídio teria se dado por um suposto assédio sexual por parte do médico à esposa do mandante do homicídio.  

Na madrugada desta terça-feira (28), o condutor da motocicleta utilizada no dia do crime acabou preso. Nesta segunda-feira (27), o responsável pelos disparos foi detido pela polícia.  

De acordo com o coordenador da 14ª Coorpin/Irecê, delegado Ernandes Reis Santos Júnior, o crime foi encomendado por um homem que seria companheiro de uma paciente. “Conforme apurado nas investigações, o mandante do homicídio alegou que a vítima teria cometido um suposto assédio a sua esposa e por esse motivo determinou a morte do médico”, detalhou. As equipes continuam realizando diligências para localizar e prender o mandante do crime.

Conforme divulgou a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), cada um dos envolvidos no crime recebeu a quantia de R$ 2 mil para executar a vítima. Nesta segunda-feira (27), o homem apontado como autor da morte do médico foi preso (relembre). 

RELEMBRE O CASO 

As investigações apontam que o pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, pode ter sido morto após ele ter informado a uma família que uma criança atendida por ele teria sofrido abuso sexual. No último dia 23, um homem armado entrou no posto em que o médico atuava, invadiu a sala de Júlio César e atirou quatro vezes. A esposa do pediatra, que é enfermeira; dois funcionários e uma criança estavam na sala de atendimento.

Câmeras de segurança registraram o momento do crime, que assustou as pessoas que estavam na recepção. O corpo de Júlio César foi enterrado na sexta-feira (24) em Xique-Xique, no Centro Norte baiano, terra natal do médico.