A Polícia Civil de Feira de Santana está realizando buscas por Gabriela Jardim Rêgo Peixoto, de 35 anos, que desapareceu desde o último domingo (22) na cidade.

Na tarde desta sexta-feira (27), uma equipe esteve em campo na BA 504, KM 7, no limite entre Feira de Santana com Santanópolis, em busca de Gabriela. A delegada Klaudine Passos, titular da 1ª Delegacia, e o delegado adjunto João Rodrigo Uzzum estão à frente da investigação do desaparecimento e relataram com exclusividade ao Acorda Cidade que localizar o paradeiro de Gabriela é questão de tempo.

Segundo a delegada Klaudine Passos, as investigações estão bem adiantadas e nenhum tipo de hipótese é descartada.

“Hoje estamos em campo na região de Santanópolis, haja vista que havia uma notícia de um odor característico aqui e nos deslocamos para cá. Fizemos aqui algumas buscas, mas até o momento não conseguimos avançar nas investigações sobre o encontro da senhora Gabriela, mas acreditamos que é questão de tempo. Nós não descartamos nenhum tipo de hipótese. O assassinato é uma das hipóteses, uma  vez que a última pessoa, que seria o médico e marido, que esteve com a senhora Gabriela, me parece que não se encontra na cidade de Feira Santana mais e não retornou ao local aonde prestava o serviço. Estamos regimentando todo esse material para logo em ato subsequente tomarmos as medidas cautelares devidas”, disse ao Acorda Cidade.

O delegado João Rodrigo Uzzum informou que pediu a todas as pessoas que tiveram contato com o casal para entrarem em contato com a polícia.

“Nada é descartado. A polícia está apurando todas hipóteses com rigor e cautela e faço um apelo à população de Feira de Santana, a todas as pessoas que conhecem esse casal, que tiveram algum contato. Por favor entrem em contato com a delegacia, conversem conosco, passem informações, que nós estamos empenhados no encontro dessa senhora, que desapareceu e tenho fé que logo estaremos com notícias. Temos alguns elementos colhidos, importantes, que nesse momento não vamos revelar, mas que indicam que a última pessoa que esteve com ela foi o marido. É necessário, portanto, que haja aprofundamento nas investigações para que se chegue a um juízo de valor acerca do que ocorreu”, declarou.

O delegado relatou que a polícia esteve no limite entre Feira e Santanópolis para apurar a denúncia de que existia um corpo no local. Até o momento nada foi encontrado e as buscas continuam.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.