Um homem, identificado como Wellington Leal Carneiro, 40 anos, foi linchado e morto por populares na sexta-feira (22), na cidade de Ilhéus, no sul da Bahia, após ter sido acusado de estuprar a enteada de 15. Os rumores de que ele teria violentado a enteada começaram a circular no bairro onde a vítima morava, fato que gerou revolta na população, que resolveu fazer “justiça com as próprias mãos”.

O corpo de Wellington foi encontrado na Rua Cantinho do Céu, após uma ponte sobre o rio do distrito de Banco do Pedro. O cadáver apresentava diversos hematomas, entre eles nas região das nádegas, o que sugere que a vítima pode ter sido violentada durante o espancamento. As mãos também foram encontradas amarradas.

De acordo com informações do G1, a garota se relacionava com um jovem, mas estava tendo um caso com um outro rapaz. Ela teria apanhado da mãe e do padrasto após eles descobrirem que ela mantinha um segundo relacionamento amoroso. Não foi informado, no entanto, se o estupro foi cometido pelo namorado ou pelo amante.

Em nota enviada ao BNews, a Polícia Civil confirmou a morte do padrasto por linchamento e ressaltou que a acusão de estrupo não foi confirmada. O órgão crescentou ainda que o caso está sendo investigado pela 1º Delegacia Territorial de Ilhéus. “O corpo foi encontrado em via pública, no distrito do Banco do Pedro, na tarde de sexta-feira (22). Foram expedidas as guias para remoção e perícia, e testemunhas são ouvidas na unidade policial”, diz trecho do comunicado.

Fonte: BNews