Dois fazendeiros foram presos acusados pela morte de uma indígena Pataxó, em Potiraguá, no Médio Sudoeste baiano. O fato ocorreu neste domingo (21). Maria de Fátima Muniz de Andrade, conhecida como Nega Pataxó, foi baleada e não resistiu aos ferimentos. Um cacique, Nailton Muniz Pataxó, também ficou ferido e foi levado para um hospital da região. Não há mais informações sobre o estado de saúde dele.

O crime ocorreu durante o conflito pela posse de terra na região. Os acusados pretendiam em retomar a área ocupada pelos indígenas. Após a repercussão do caso, o governador Jerônimo Rodrigues se posicionou sobre o ocorrido, lamentando a situação.

“Meus sentimentos e solidariedade à família e a toda comunidade indígena da Bahia e do Brasil. É inaceitável qualquer tipo de violência, contra qualquer comunidade. E quero afirmar o rigor na apuração e na punição dos culpados”, declarou Jerônimo.

O governador também convocou uma reunião com parte do secretariado e comandantes de forças de segurança para monitoramento e alinhamento da atuação dos órgãos estaduais envolvidos na resolução do conflito. Nesta segunda-feira (22), a ministra dos Povos Indígenas Sônia Guajajara deve visitar a região, como parte dos esforços de conter a violência na área.

Os fazendeiros presos, que não tiveram os nomes divulgados, foram presos em flagrante e autuados por homicídio e tentativa de homicídio. 

Fonte: Bahia Notícias