Dois dias após a morte do soldado Gil Rodrigues Pereira ocorrer na cidade de Retirolândia, na região Sisaleira (relembre), a prefeitura da cidade decretou a proibição da realização de festas do tipo “paredão”. A decisão foi publicada nesta terça-feira (5), no Diário Oficial do Município.

Foto: Reprodução / SSP-BA

De acordo com a decisão do prefeito Alivanaldo Martins dos Santos, a realização desses eventos prejudica a qualidade ambiental do local, além da saúde e da segurança da população. Conforme divulgou o Portal G1, o decreto também reforça que as festas paredões causam prejuízos sociais e econômicos para a população e para a cidade de Retirolândia.

Também no documento, o prefeito informou que as festas paredões causam prejuízos sociais e econômicos para a população e para a cidade de Retirolândia. A determinação da prefeitura aconteceu dois dias após o assassinato do soldado da Polícia Militar, Gilson Rodrigues Pereira, que estava de folga e foi baleado em uma festa de motociclistas. A morte do PM não é citada no decreto municipal.  

RELEMBRE O CASO

O soldado foi morto no último domingo (3) após ser baleado quando participava de um encontro de motociclistas em Retirolândia, na região sisaleira. Gil Rodrigues Pereira participava do evento, no povoado de Bela Vista, quando foi atingido por disparos desferidos por dois homens. O crime ocorreu por volta das 18h30. Até o começo desta segunda-feira (4), nenhum dos atiradores tinha sido localizado.

De acordo com a delegada Rosângela Batista Silva, titular da delegacia de Retirolândia, não se sabe até o momento como os dois acusados chegaram até o policial, atiraram e fugiram em seguida. Os disparos atingiram tórax e a região das costas. O militar chegou a ser socorrido, primeiro para uma unidade de saúde de Retirolândia, depois para Serrinha, onde não resistiu.

Fonte: Bahia Notícias