O presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou nesta segunda-feira (8), em um evento com 33 banqueiros em São Paulo, a carta em defesa da democracia e do processo eleitoral divulgada pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), que já reúne mais de 800 mil assinaturas. Enquanto discursava, Bolsonaro disse que quem é “democrata não precisa assinar cartinha.”

“Outra coisa, pessoal, quem quer ser democrata, não precisa assinar cartinha, não. Se tiver que assinar que sou honesto, todo mundo vai assinar que é honesto. Democracia tem que sentir o que a pessoa está fazendo. “Falar todo mundo fala. Fazer cartinha todo mundo faz”.

Embora a carta não mencione nenhum político, o presidente associou a “Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito” como uma defesa ao candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e afirmou que não assinará o manifesto.

“Vou dizer a vocês que vocês têm que olhar na minha cara, ver as minhas ações e me julgar por aí. Assinar cartinha eu não vou assinar. Até pra carta. É mais do que política. Uma carta é um objetivo sério de voltar o país nas mãos daqueles que fizeram isso conosco”, disse.

Oito candidatos à Presidência da República assinaram a carta: Lula, Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Felipe D’Ávila (Novo), Soraya Thronicke (União Brasil), Sofia Manzano (PCB), Leonardo Péricles (Unidade Popular) e José Maria Eymael (Democracia Cristã).

Fonte: Bnews