Um laboratório protético irregular localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro foi interditado após ser descoberto, em uma operação policial, que as próteses dentárias vendidas pelo local para clínicas odontológicas vinham de cemitérios clandestinos da Região Metropolitana. As informações são do jornal Extra.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

O material conhecido como “roach” se trata de uma prótese dentária removível. Após adquirir o material no cemitério por cerca de 50% do custo habitual, o laboratório inseria a peça a um processo químico para que aparentasse ser novo, sendo assim, repassado para as clínicas.

Pelo menos dois cemitérios participaram do esquema, sendo um em São Gonçalo e outro na Baixada Fluminense. A delegacia especializada que cuida do caso ainda busca outros endereços.

Ainda de acordo com o jornal, duas pessoas foram presas em flagrante por crimes contra o consumidor e contra a saúde pública, cujas penas, somadas, podem chegar a seis anos de prisão. De acordo com as investigações, os envolvidos participaram desse esquema por pelo menos três anos.

As clínicas odontológicas que adquiriram o material pelo mesmo laboratório serão contatadas.

Por Varela Notícias