Caso foi registrado em São Miguel do Oeste e será alvo de estudo para identificação da estrutura anatômica e morfológica

Feche os olhos e imagine dois corpos, oito patas e uma cabeça. A descrição, à primeira vista, parece de um ser de outro planeta ou até mesmo uma aberração, não é mesmo? Porém, não passa de um caso raro registrado em Santa Catarina do nascimento de gêmeos siameses de porcos.

Os corpos ficaram unidos durante o desenvolvimento embrionário. O animal nasceu em uma propriedade rural no interior do município de São Miguel do Oeste, no Extremo-Oeste de Santa Catarina. Agora, está em estudo pelo NEVS (Núcleo de Estudos em Vida Selvagem) da Unoesc do município.

O Biólogo Dr. Jackson Preuss, e coordenador do NEVS, explica que as chances de um animal com esse tipo de má formação sobreviver é raríssimo. Isso porque a estruturação do corpo dificulta o desenvolvimento do porco e, provavelmente, alguns órgãos também nascem fundidos.

“Esses porcos são oriundos de um único óvulo fertilizado. Basicamente, na hora houve uma divisão errada e fez com que nascesse apenas uma cabeça em dois corpos. Eu já havia visto casos de duas cabeças em um corpo, mas dessa forma é a primeira vez”, relata Preuss.

Como isso ocorre?

De acordo com o biólogo, o caso raro pode ser de origem genética ou ambiental. “A própria nutrição, medicamentos, micro-organismos ou até mesmo a consanguinidade pode ser responsável por essa má formação”, pontua.

O animal será estudado pelo NEVS junto com o curso de Medicina Veterinária da universidade. Ele passará por exames de raio-x e necrópsia para avaliar a estrutura anatômica e morfológica.

Assista:

Fonte: Marajuba Acontece