O presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou o decreto que cria a nova carteira de identidade nacional ou RG Único. A medida visa simplificar a vida dos cidadãos e melhorar a segurança dos dados para evitar fraudes e golpes.

O decreto entrou em vigor em 1º de março deste ano, porém, o prazo para os órgãos estaduais se adequarem às mudanças é 6 de março de 2023. Dito isso, os cidadãos não precisam se apressar para atualizar o cadastro.

Mudanças no RG

Em relação aos documentos tradicionais, os documentos verdes continuarão sendo aceitos por até 10 anos caso a população atinja a idade de 60 anos. RGs mais antigos podem usar o RG antigo sem prazo fixo.

Em relação aos documentos tradicionais, os documentos verdes continuarão sendo aceitos por até 10 anos caso a população atinja a idade de 60 anos. RGs mais antigos podem usar o RG antigo sem prazo fixo.

Dentre as mudanças anunciadas no novo documento, destacam-se: o número utilizado no RG Único será CPF, a aparência do documento também mudará e permanecerá a mesma em todo o país, haverá a possibilidade de verificação eletrônica do código , terá o mesmo código MRZ do passaporte, além de outras alterações.

Além disso, os dados de saúde de um indivíduo, como tipo sanguíneo, fatores de RH, vontade de doar órgãos no momento da morte e outras informações que podem ajudar a preservar o bem-estar dos cidadãos e salvar vidas, também podem ser incorporados ao RG Único.

Passo a passo para a emissão da nova carteira de identidade

Confira abaixo as etapas para a solicitação do novo documento:

  • Em primeiro lugar, o cidadão deve dirigir-se à autoridade emissora do seu país;
  • Ele deve então apresentar sua certidão de nascimento ou casamento;
  • Em seguida, a cidadania é verificada pelo GOV.BR (isso garantirá que o documento seja único);
  • Após a conclusão, a autoridade emissora notificará o prazo para retirada de documentos em papel;
  • Com ele, os cidadãos também podem acessá-lo digitalmente pelo aplicativo GOV.BR.