O ex-prefeito de Ipirá, Antônio Colonnezi, teve a perda da função pública pelo ato de improbidade administrativa. A decisão foi proferida pela juíza Luciana Braga Falcão Luna, da Comarca de Ipirá, no dia 09 de maio,

Conforme a sentença da juíza, o ex-prefeito foi condenado à perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por cinco anos, além de multa sobre metade do valor do dano causado. Além disso, Antônio Colonnezi também está proibido de firmar contratos com o poder público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais, pelo prazo de cinco anos.

Na ação, que foi ajuizada pelo Ministério Público do Estado da Bahia, o órgão alega que: “O requerido (Antônio Colonnezi), na função de Prefeito Municipal e no curso do exercício financeiro de 1996, determinou a realização de diversos pagamentos a pessoas jurídicas, na aquisição de bens e serviços, sem procedimento licitatório ou sem formalização de dispensa ou inexigibilidade de licitação, a exemplo de botijões de gás. Salienta que em 1997 foram encontrados seis cheques assinados pelo demandado, emitidos sem qualquer vinculação a notas de empenho, além de três cheques devolvidos sem provisão de fundos e sem processo de pagamento. Requereu a condenação do réu nas sanções previstas no art. 12, II, da Lei 8.429/92“. Veja a íntegra do documento clicando aqui.

Antônio Colonnezi foi prefeito de Ipirá entre os anos de 1993 e 1996. Em 2012 tentou à prefeitura, mas a Justiça Eleitoral barrou sua candidatura porque o ex-gestor havia sido condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) por improbidade administrativa e a pena foi a inelegibilidade por oito anos a contar de 2006. A punição acabou no dia 3 de março de 2014. Na ocasião, o então candidato à prefeitura lançou sua esposa Ana Verena Colonnezi (PR), que acabou se elegendo, mas desistiu do cargo nos primeiros dias de gestão.

Antônio João Colonnezi de Oliveira. Imagem: Reprodução Ipirá Negócios