Os brasileiros recordam da greve dos caminhoneiros que parou o Brasil em alguns dias do ano passado. Houve falta de combustível em postos e de alimentos em alguns supermercados.

Desde então, a população fica receosa sempre que uma nova suposta greve é anunciada. Existe um movimento entre caminhoneiros autônomos, aqueles que não estão ligados à nenhuma empresa, de que haverá uma nova greve em todo o Brasil.

Esta paralisação ocorreria no dia 16 de dezembro deste ano, a partir das 6h da manhã. Vídeos com caminhoneiros falando sobre a greve circulam pelas redes sociais. 

A movimentação estaria sendo feita por meio de grupos no aplicativo de troca de mensagens Whatsapp.

Em entrevista ao UOL, Marconi França, uma das lideranças nacionais em prol da greve, explicou o motivo da paralisação. Em sua reinvidicação, ele fez uma crítica ao governo federal.

“As pessoas estão entendendo nossa ideia. Ela [a paralisação] é só para melhorar a vida do trabalhador. Nossas leis vigentes, já aprovadas, não estão sendo respeitadas, inclusive a do piso mínimo [do frete]. Ninguém respeita, ninguém paga, e o governo não faz nada. Nos abandonou”
desabafou França.

Entre os sindicatos, a paralisação não é cogitada. A Confederação Nacional dos Transportes Autônomos (CNTA) afirmou que desconhece qualquer movimentação para uma greve.

O governo federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, afirmou que está monitorando a situação, mas não vê uma articulação tão forte entre os caminhoneiros, de acordo com informações do UOL.

O ministério realiza reuniões bimestrais com os caminhoneiros no Fórum Permanente do Transporte Rodoviário de Cargas, em Brasília.

O resumo de tudo é que pode haver greve, mas a adesão deve ser baixa, nada comparado ao que aconteceu no ano passado.

Conversa Afiada

Fonte: 1News