O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) denunciou, nesta sexta-feira, 18, o deputado federal e ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) por peculato, corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a construção da Cidade Administrativa, sede do governo do Estado. Outras 15 pessoas também foram denunciadas.

A Polícia Federal já havia apresentado denúncia contra o tucano por desvio de recursos públicos e falsidade ideológica em investigação envolvendo a obra. A obra custou R$ 1,3 bilhão. O esquema teria ocorrido entre 2007 e 2010, época em que Aécio Neves era governador de Minas.

“Os valores contratados, em razão da absoluta inexistência de competição na licitação, foram superiores aos valores orçados e superiores aos valores de mercado. Além do sobrepreço do valor do contrato e da fraude à licitação, a porcentagem de 3% dos valores pagos às empresas contratadas foi entregue ao então governador, por meio do diretor da CODEMIG (Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais), como propina”, diz a denúncia.

O MP diz, ainda, que parte da propina foi paga por meio de contratos fictícios em valores em dinheiro entregues a terceiros.

Em nota, a assessoria de Aécio diz que “a obra citada, concluída há mais de 10 anos, foi realizada de forma exemplar, com os preços apresentados na licitação considerados abaixo dos de mercado pelo próprio MP à época e considerada correta por todos os órgãos de controle como TJ e TCE. O edital foi aprovado pela AGE e submetido previamente ao MP. Por isso, a denúncia é insustentável. A defesa confia que a Justiça irá demonstrar a injustiça e o absurdo da falsa acusação”.

Fonte: BNews