Em missa na cidade de Laranjal Paulista (SP), o padre bolsonarista Edison Geraldo Bovo, da Paróquia São Roque, fez ataques contra as urnas eletrônicas, o governador de SP, João Doria (PSDB), e o ex-presidente Lula (PT). Ele começou seu discurso dizendo que o sistema de votos no Brasil “é fraudável e não adianta querer provar outra coisa”. O vídeo foi compartilhado nas redes sociais do jornalista Eduardo Matysiak nesta quinta-feira (10).

Ao falar sobre Doria, o religioso o chamou de “desinfeliz” e perguntou à plateia: “Quando ele defendeu vocês?”. Ele também culpou o tucano por ter “fechado um monte de empresa” e ter acabado com o “sonho de investir em alguma coisa grande”. No ano passado, também durante uma homilia, comparou o tucano ao líder nazista Adolf Hitler.

Uma das figuras mais populares da cidade do interior paulista, o padre Edison foi ainda mais agressivo ao falar de Lula. Disse que o petista é “o maior ladrão que o mundo já viu” e afirmou: “Coitada da família dele, do pai e da mãe, que têm vergonha disso”. Os pais de Lula estão mortos há mais de 40 anos. Ainda segundo Edison, o ex-presidente “usou um dinheirinho” para pagar o STF (Supremo Tribunal Federal) para declará-lo inocente.

Assista:

Fonte: DCM