O preço médio do litro da gasolina nos postos do país subiu na última semana, mostram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta sexta-feira (10). A pesquisa é referente à semana de 5 a 11 de março.

▶️ GasolinaA gasolina comum foi comercializada em média a R$ 5,57 o litro.

  • O valor representa uma alta de 6,09% frente aos R$ 5,25 da semana anterior, segundo os dados da ANP.
  • O preço máximo do combustível encontrado nos postos foi de R$ 7,19.

▶️ Etanol: O litro do etanol também aumentou: foi de R$ 3,88 para R$ 3,96.

  • A alta no preço do combustível foi de 2,06%.
  • O valor mais caro encontrado pela agência na semana foi de R$ 6,57.

▶️ Diesel: O preço médio do litro do diesel, por outro lado, caiu de R$ 5,93 para R$ 5,91.

  • O recuo no valor do diesel foi de 0,33%.
  • O preço mais alto identificado pela ANP foi de R$ 7,69 na mesma semana.

▶️ Contexto: A alta no preço médio da gasolina ocorre na semana seguinte à oficialização da reoneração de combustíveis pela equipe econômica do governo federal. A volta dos impostos federais que incidem sobre a gasolina e o etanol passou a valer no dia 1º de março. Naquela mesma semana, a gasolina teve alta de 3,34%.

O tema causou um impasse entre as alas política e econômica do governo. Os ministros Fernando Haddad (PT), da Fazenda, e Alexandre Silveira, de Minas e Energia, explicaram no dia 28 de fevereiro a volta dos impostos federais.

Os aumentos, segundo Haddad, foram de:

  • R$ 0,47 para a gasolina
  • R$ 0,02 para o etanol

O secretário da Receita Federal, Robinson Barreirinhas, informou que a reoneração parcial dos impostos vale por quatro meses, até junho. Ela só será mantida no segundo semestre caso o Congresso decida converter a medida provisória em lei.

Na ocasião, Haddad disse que os impactos nas bombas seriam menores, já que a Petrobras havia anunciado a redução nos preços de gasolina e diesel para as distribuidoras.

“Estamos com um objetivo claro, que é recompor o orçamento público”, afirmou o ministro.

Ainda segundo Haddad, com a redução da gasolina em R$ 0,13 o litro pela Petrobras, o impacto final a ser sentido pelo consumidor seria de R$ 0,34 para a gasolina.