O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou nesta quarta-feira (1º) um decreto de garantia da Lei e da Ordem em portos e aeroportos.

A medida abrange os portos de Itaguaí, Rio de Janeiro e Santos. E os aeroportos de Guarulhos (SP) e Galeão (RJ).

O decreto de GLO para portos e aeroportos foi antecipado pelo colunista do g1 do Gerson Camarotti.

“Esse decreto ele estabelece a criação de uma operação integrada de combate ao crime organizado, e por isso estou fazendo esse decreto de GLO especificamente para o porto do Rio de Janeiro, porto de Santos, porto de Itaguaí, aeroporto do Galeão e aeroporto de Guarulhos”, disse Lula.

Lula afirmou que haverá um comitê de acompanhamento integrado coordenado pelos ministros da Justiça, Flávio Dino, e da Defesa, José Mucio.

As duas pastas apresentarão um plano de modernização de atuação da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Penal, Exército, Aeronáutica e Marinha “visando melhorar a atuação em portos, aeroportos e fronteiras”.

Lula fez a assinatura do decreto no Palácio do Planalto acompanhado dos ministros José Mucio (Defesa), Flávio Dino (Justiça), Rui Costa (Casa Civil)

Crise de segurança no Rio

O governo discute há semanas ações para auxiliar estados, a exemplo do Rio de Janeiro, que enfrentam crises na área.

Também acompanharam o evento os comandantes da Marinha, almirante Marcos Olsen; do Exército, general Tomás Paiva; e da Aeronáutica, brigadeiro Marcelo Damasceno; e o diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues.

Na semana passada, Lula afirmou que não assinaria decretos de “garantia da lei e da ordem” (GLO) e que não quer militares das Forças Armadas nas favelas “brigando com bandido”.

Recentemente, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), pediu apoio federal no combate às milícias e ao crime organizado no estado.

Tag