O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alertas de chuvas intensas em 15 Estados. Os moradores das regiões afetadas devem redobrar a atenção pelo menos até a manhã desta segunda-feira, 5.

Cidades do Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Pará, Tocantins e Goiás receberam o alerta laranja, que representa “perigo”. Nessas áreas, a chuva deve ficar entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, com ventos intensos (60-100 km/h).

Há risco de corte de energia, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas, segundo o Inmet. A instabilidade deve permanecer até as 10h.

As seguintes áreas serão afetadas:

  • Centro-sul mato-grossense;
  • Centro goiano;
  • Nordeste mato-grossense;
  • Ocidental do Tocantins;
  • Norte mato-grossense;
  • Leste rondoniense;
  • Sudoeste paraense;
  • Norte goiano;
  • Centro amazonense;
  • Sudoeste amazonense;
  • Sul amazonense;
  • Noroeste goiano;
  • Norte amazonense;
  • Sudoeste mato-grossense;
  • Madeira-Guaporé;
  • Sudeste mato-grossense;
  • Leste goiano;
  • Sudeste paraense; e
  • Oriental do Tocantins.

Em caso de rajadas de vento, o Inmet orienta os moradores a não se abrigarem debaixo de árvores, porque há risco de queda. Além disso, os cidadãos podem ser alvo de descargas elétricas.

O Inmet afirma também que é temeroso estacionar veículos próximos a torres de transmissão e de placas de propaganda.

Se possível, os moradores das áreas afetadas devem desligar os aparelhos elétricos e o quadro geral de energia.

Para mais informações, basta consultar a Defesa Civil (199) e o Corpo de Bombeiros (193).

Possibilidade de chuvas intensas é inferior no Sudeste

Para outras áreas, o Inmet emitiu alerta amarelo. O risco é consideravelmente menor, em comparação com o alerta laranja.

Cidades do Acre, Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Pará, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro precisam estar preparados.

De acordo com o Inmet, a chuva nas cidades sob alerta amarelo deve ficar entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, com ventos intensos (40-60 km/h).

O instituto acredita que há baixo risco de corte de energia, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas.

A instrução, nesse caso, é evitar abrigar-se debaixo de árvores. O risco de queda é pequeno, mas existe. Há também a possibilidade de descargas elétricas, que não deve ser menosprezada.

O Inmet orienta os moradores a não estacionarem seus veículos próximos a torres de transmissão nem de placas de propaganda. Ainda conforme o instituto, os cidadãos têm de evitar o uso de aparelhos eletrônicos ligados à tomada. A situação deve melhorar depois das 10h.

As orientações mais precisas são fornecidas pela Defesa Civil (199) e pelo Corpo de Bombeiros (193).