O prefeito Dudy perdeu a oportunidade de puxar a brasa para sua sardinha com a instalação da CPI do Transporte Escolar na Câmara de Vereadores de Ipirá onde conta com maioria.

Seria uma oportunidade para ficar mastigando e triturando o time do Bahia (sardinha) e preparando o terreno para lascar a bordoada para cima da Secretaria de Educação, que pagaria o pato e o prefeito tiraria o braço da seringa, ao tempo, que abriria uma discussão sobre as mazelas e sucateamento do transporte escolar no município de Ipirá. Para corrigi-las.

Não, preferiu deixar tudo como estar e não tomar nenhuma atitude! Não vai cortar na carne. Sua gestão é perfeita e não contém erro. O prefeito é um grande amigo de seus amigos e não entrega ninguém. O prefeito preferiu ficar com o redondo na reta e aguardar o pronunciamento do Ministério Público, que virá e bem mais próximo do pleito eleitoral.

Não pensaram nisso ou acreditam com plena fé que, como sempre, não dará em nada. Que não há JUSTIÇA, nem haverá. Que o administrador não deve nada aos seus munícipes, nem ao menos uma satisfação e um pronunciamento, sendo que, uma simples Nota de Pesar é o suficiente para jogar tudo debaixo do tapete.

Como uma sucata conseguiu entrar no transporte escolar do município de Ipirá? Quem foi o padrinho que facilitou e abriu a porta da prefeitura? Foi o próprio prefeito ou foi o poderoso secretário?

Ficam mastigando uma ladainha de que tudo é politicagem. O Sistema Jacu e Macaco é uma ‘maquininha de cata-votos’ que só beneficia ‘meia dúzia de oito’, não vai além. É o sogro que adora o genro e resolveu presenteá-lo com uma prefeitura. Não quer nem saber se isso é nepotismo e poderá ser judicializado ou questionado na JUSTIÇA.

Com toda certeza, sabe que não será, pois do outro lado tem o ex-deputado que, escanteado na macacada, deu um golpe de mestre e colocou sua esposa como pré-candidata da jacuzada, numa mudança estratégica de grande envergadura e sem estabelecer nenhum conflito de grande monta para questionar qualquer tipo de nepotismo ou seja lá o que for, pois tudo está nos conformes de seu interesse familiar. No frigir dos ovos, vai dá o sobrinho ou a esposa, ficando tudo dentro de casa.

Tem gente que acha que daqui prá frente, tudo vai ser diferente. Que o povo vai participar da gestão. Tirando o exagero: o povo não vai não; mas que a Federação vai participar diretamente da gestão de Ipirá; vai mesmo? Que as grandes decisões vão sair do consenso dos debates; é mesmo?

Botando o exagero de volta. O ex-deputado Jurandy Oliveira sempre convida todo mundo (todo mundo mesmo) para tomar um café em sua casa, demonstrando que as portas estão escancaradas.

Dobrando o exagero que voltou. Quem vai ser convidado para a ceia do Natal na casa do ex-deputado? Natal é coisa de família, principalmente para sobrinho e tia. Nada melhor do que discutir os destinos da NOSSA cidade dentro da família. Antes eram duas famílias (família jacu e família macaco) agora é uma família só.

A conversa flui, galopa e atinge a velocidade da luz depois de um pato grelhado e um chester da Perdigão. Depois de ferver a mente sobre os destinos de NOSSA terra, nada melhor do que desarmar os espíritos gastos no embate eleitoral com uma grande indagação: a população de Ipirá quer ser pato grelhado ou chester da Perdigão?

Naturalmente, nenhuma palavra escapará da casa para a rua, até que, em determinado momento, aparece um menininho de uns dois aninhos, bonitinho e engraçadinho, todo arrumadinho, calça comprida, camisinha social e gravatinha borboleta; o ex-deputado observa atento e com grande sutileza, engenhosidade e espirituosidade argumenta: “esse menino vai ser um futuro prefeito de Ipirá, podem espalhar por aí.”

O prefeito Dudy volta à cena com suas obras: “distribuímos o ‘Kit Pascoa’; fizemos o ‘Natal, Luzes da Esperança’; colocamos um mirante no Monte Alto; reformamos mais de vinte quadras esportivas; seria incoerência nossa deixar diversas ruas da periferia sem calçamento, por isso, calçamos mais de cem ruas e agora estamos asfaltando mais de 15 km de ruas.”

Essa ladainha de jacu e macaco é nó em pingo d’água. Qual é a qualidade das obras da gestão Dudy? O calçamento da avenida Brasil tá brocando em determinados pontos. De onde vem os recursos para as obras da gestão Dudy? 99% de Emendas Parlamentares. Qual é a obra da gestão Dudy com recursos próprios da prefeitura de Ipirá? Isso quem tem que dizer é ele.

Vamos buscar a coerência, com quantos anos de atraso o asfalto chegou à Ipirá? Quem tem que responder isso é o Sistema Jacu e Macaco. As estradas vicinais (rurais) de São Francisco do Conde são asfaltadas, desde o século passado.

O município de Ipirá tem Plano Diretor? Quem tem que responder é o Sistema Jacu e Macaco. Ipirá é uma cidade pequena ou média? Quem tem que responder é você, que está fazendo essa leitura. Ipirá tem condições de crescimento? Você tem que fazer essa análise, porque a população diminuiu.

Uma reflexão, vamos lá! Na questão de urbanidade, qual é a avenida, em Ipirá, que tem condições de crescimento, com largura e comprimento? Aponte uma só. Estão todas estranguladas e bloqueadas. Todas.

A cidade de Ipirá não cresce, incha. Como acontece a abertura de rua em Ipirá? Qual é a largura das ruas? A avenida do estádio de futebol tem mais passeio do que pista, por quê e para quê? Até a avenida Rio Grande do Sul é pista de dois carros, um indo e outro voltando, poderá ter comprimento. Poderá?

Mas, eu quero dizer o seguinte: o Sistema Jacu e Macaco antecipou o asfalto na cidade de Ipirá em quase cem (com c) anos. Você acredita? Sim ou não? Raciocine comigo: se você disse que a cidade de Ipirá vai crescer, então responda: qual é o lado da cidade com mais probabilidade de crescimento? Por qual lado a cidade vai avançar, desfraldar e expandir?

Uma certeza, pelo centro não é. O centro será sempre reformulado, mesmo sem ter por onde crescer; este miolo está concretizado. Onde a prefeitura de Ipirá tem condições de fazer uma nova pavimentação (exemplo) de 10 km com asfalto (calçamento não dá mais), energia, água e esgoto? Um local para viabilizar fluxo com atividade econômica?

A prefeitura não tem o que fazer, nem condições para fazê-lo. Mesmo assim, já estão estabelecidas as indicações para a concretização de um plano de crescimento e avanço para a cidade de Ipirá na questão urbana sem a interferência direta da prefeitura e sem a prefeitura quebrar a cabeça pensando. Agora, vamos ter paciência, a prefeitura vai ter que fomentar a modelagem.

Com a implantação da ponte BarraXique-Xique cresceu muito o fluxo de carros nesse trecho (de Ipirá) da Estada do Feijão, uma média de 2.400 carros em 24 h; daí a necessidade de um plano de ação para fazer o negócio crescer nestas adjacências.

Quem viver, verá! No ano de 2100, a principal avenida de Ipirá terá mais de 20 km, desde já, hoje, antecipadamente, está toda asfaltada, tem rede de energia, água e um pedaço de esgoto. Será a avenida que liga o Pau Ferro ao povoado de Umburanas.

Repito: quem viver verá, só se o famigerado e desgraçado Sistema Jacu e Macaco não permitir.

Escrito por Agildo Barreto

Siga-nos no Instagram e acompanhe as notícias no Google News – Participe do nosso grupo no WhatsApp