Dívidas, quem nunca as teve? Em algum momento da vida já passamos, estamos passando ou poderemos passar por um momento de dificuldade financeira. Com isso, deixamos de pagar alguma conta e o nome acaba indo para a lista dos negativados.

Mas não fique triste se você está nessa situação. Você não está sozinho. Pelo contrário, o número de endividados, no entanto, é de aproximadamente 65 milhões de pessoas. De acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 69,7% das famílias brasileiras estão endividadas.

Para tentar voltar a ter crédito na praça, sair das lista dos maus pagadores e aumentar o seu score, preparamos essas dicas a seguir. Acompanhe:

Como limpar o nome?

Sair da lista dos negativados é como tirar uma pedra de cima dos ombros, não é mesmo? Poder deitar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilo, não tem preço. Por isso, vamos conferir abaixo algumas dicas para saber o que pode ser feito para se livrar das restrições de crédito.

Consulta ao CPF – Essa é a primeira atitude a tomar. Consulte seu CPF e saiba exatamente quem está lhe cobrando, para depois investigar quanto estão lhe cobrando. Ainda que já tenha noção dessas informações, é importante obter detalhes. Há, atualmente, pelo menos dois serviços gratuitos de consulta de situação de crédito. O primeiro é o Boa Vista Consumidor Positivo e o segundo é o Serasa. Podem ocorrer diferenças nas consultas, inclusive na numeração do Score, mas não chegam a ser significativas para o inadimplente.

Manter o Score em nível alto – O Score é aquele sistema de pontuação de crédito, que vai de 0 a 1000 pontos. Quanto mais alto, melhor para obter crédito e para a reputação do cidadão.Todas as empresas fazem consultas constantes de sua vida financeira, analisando seu Score. E como fazer para mantê-lo alto? Somente pagando as contas em dia. Não tem mágica.

Perdeu o emprego, tente renegociar – Se o motivo da dívida foi a perda do emprego e, por isso, não tem condições de honrar seus compromissos, o caminho é negociar. As empresas te cobrarão juros e farão acordos futuros. Entre em contato e tente uma alternativa de pagamento. Enquanto outro emprego não aparece, uma outra alternativa é buscar renda extra. Faça uma análise e verifique se não possui alguma habilidade profissional, que possa te proporcionar novos ganhos, seja na internet, seja na sua própria rua. 

Listar as  prioridades – Em momento de desemprego, ou de trabalho informal, tenha cautela para analisar o que pode ser feito com suas finanças. Programe-se e pague o essencial. Algumas coisas podem esperar.

Controle financeiro –  Uma parte da organização de suas prioridades envolve anotar claramente o estado de suas finanças. Faça planilhas eletrônicas listando todos os gastos a fim de manter o controle financeiro da sua vida.

Cortar os gastos supérfluos – Se você está numa situação difícil, avalie todos os seus gastos e corte de uma vez os supérfluos. Corte academia, cursos que são apenas passa-tempo, cancele planos de TV e de celular. Adquira com preços mais em conta. Compre à vista e nada parcelado.Evite liquidações de roupas para não cair em tentação. Cada centavo poupado fará diferença no total.

“Lei do Superendividamento” – Entrou em vigor em julho de 2021, a que vem sendo chamada de “Lei do Superendividamento”. Ela busca aumentar a proteção de pessoas portadoras de dívidas em várias empresas e que não conseguem pagá-las, por serem altas demais. Você, que é super devedor, pode renegociar tudo o que deve de uma só vez e buscar, assim, a melhor forma de quitar esse montante. É, portanto, uma espécie de recuperação judicial para pessoas físicas.

Portabilidade de financiamento – A portabilidade é a migração de uma dívida existente de uma instituição financeira para outra. De uma maneira geral, seria pagar um empréstimo fazendo outro empréstimo, porém, em circunstâncias menos lesivas ao seu bolso. Um exemplo simples é quando você tem uma dívida em um banco e percebeu que, ao buscar negociação nesse banco, não ficou vantajoso, diante do seu atual orçamento. Nesse caso, procure outro banco e verifique se ele te apresenta uma proposta de quitar essa dívida por um valor menor. Caso tenha, você pode optar por parcelas menores ou maiores prazos.

Essas foram as dicas para você voltar a ter crédito na praça e respirar mais aliviado. Tenha cautela e analise todas as possibilidades para sair desta situação. O importante é ter consciência no lugar e não voltar a contrair dívidas. E lembre-se: você não está sozinho! 

ANA LUZIA RODRIGUES / Jornal Contábil