Os aliados do atual presidente Jair Bolsonaro (PL) não apoiam uma possível candidatura dele em 2026, segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo. A ideia é fazer com que Bolsonaro “empreste” o prestígio a outros candidatos.

Para os aliados do presidente, ele seria uma espécie de “FHC [Fernando Henrique Cardoso] da extrema-direita”. Ou seja, não disputaria pleitos, mas seria uma figuria influente que daria apoio a outros candidatos. O recém-eleito governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) é o mais cotado para assumir a principal liderança da extrema-direita.

Segundo Mônica, os aliados do presidente acreditam que Tarcísio seria um nome que representaria o campo político de forma mais civilizada, desmilitarizada e menos radical.

Apesar da ideia parecer boa para os aliados, ainda será preciso convencer Bolsonaro e aceitar ser o “novo FHC”. Fernando Henrique Cardoso deixou a presidência em 2001 após oito anos de mandato, porém tinha menos popularidade que o atual chefe do executivo.

Fonte: Bnews