Circula nas redes sociais e internet que o governo do novo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva tem entre os planos a criação de uma Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF) para taxar o Pix.

No entanto, é falsa as informações publicadas nas redes sociais, inclusive as notícias de que tanto o UOL quanto a CNN haviam divulgado essas informações também são falsas.

As publicações que trouxeram essas falsas informações usam trecho de uma checagem do projeto Comprova que omite, na verdade, o texto diz o oposto, ou seja, não há nenhum plano do governo do novo presidente em taxar o Pix.

Os brasileiros precisam se atentar às informações que quando muito alarmantes podem trazer desinformação, com a notícia divulgada em redes sociais que se trata de uma inverdade.

Notícia é falsa

Na realidade, as publicações se utilizaram de um segundo parágrafo da reportagem em que explica qual conteúdo enganoso estava sendo compartilhado nas redes sociais, confira na íntegra os primeiros parágrafos da reportagem:

Falso: É falso vídeo indicando que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem como propostas de governo a tributação do PIX, o congelamento da poupança e a criação da nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). O conteúdo ainda engana ao apontar que o plano de governo petista propõe a implementação do Peso Real, moeda unificada com outros países da América Latina. Lula chegou a defender a ideia, mas não há qualquer proposta oficial no plano divulgado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Conteúdo investigado: Vídeo postado pelo pastor Silas Malafaia afirma que o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, tem plano de criar nova CPMF que vai tributar todas as transações do PIX, de congelar a poupança dos brasileiros, liberar apenas R$ 500 para o uso das famílias e de criar a moeda “Peso Real” junto com Argentina e Venezuela. A última medida, segundo o vídeo, dividiria “todas as reservas brasileiras com os amigos ditadores” de Lula. Em dois momentos, o vídeo mostra a mesma página de um suposto documento usado como base para fazer as alegações. A postagem foi feita no dia 28 de outubro, ainda durante a campanha eleitoral.

Como identificar uma fake news?

Identificar uma fake news pode não ser uma tarefa simples, tendo em vista que atualmente as notícias estão cada vez mais bem elaboradas e inclusive trazendo uma dificuldade maior para checagem da veracidade dos fatos.

Contudo, existem algumas dicas importantes para se seguir e identificar se o conteúdo é uma fake news, confira:

  • Quando receber um conteúdo, verifique primeiro o conteúdo apontado, as fontes, e vá direto na suposta fonte para buscar o texto;
  • Não clique em links que não possuam fontes ou números conhecidos, como no caso de recebimento no WhatsApp, por exemplo;
  • Procure em outras redes sociais e no Google a informação recebida para identificar se outros veículos também publicaram a notícia;
  • Pesquise sempre em outras fontes confiáveis se aquela informação está presente nas grandes mídias ou no próprio site do governo;
  • Não publique nenhuma informação antes de ter certeza e de checar os fatos, para não contribuir com a disseminação de notícias falsas.

Fonte: Jornal Contábil